Paixão, amor…sim são necessários, desde que a vida de ambos não se limite a isso. Pessoas se sentem bem ao lado das outras, porque as vezes têm os mesmos desejos e perspectivas de vida, e percebem que juntas podem de uma maneira mais fácil alcançar seus objetivos, ponto ( minha definição de amor). Mas assim, fora isso existem os estudos, carreira profissional.
   Em um relacionamento – e que palavra perfeita se faz esta – ambos precisam manter seu foco de vida e conciliarem seus ” sentimentos”- palavra já bem administrada dentro de mim, em uma linha tênue cheia de destreza entre a razão e o ” músculo coração” – afim de que suas vidas pessoais e privativas continuem intactas.
   Por mais que se exista cumplicidade, se faz necessária a conservação da individualidade, respeitar limites e costumes e saber ate onde se estende o tal do ” somos um” ou ” somos dois”.   

   Ter uma mente saudável em relação aos assuntos que norteiam a vida, fará de seu relacionamento algo livre, inteligente e com “gostinho de eterna conquista”. Viver em prol do outro vinte e quatro horas por dia, é doença mental, é importante compreender que o mundo, não deve girar apenas em torno do “tal do amor”, sabe aquela máxima – ” antes de amar, se ame e se respeite!” .
   Se mantendo o equilibrio entre o respeito, e a noção que cada um tenha da palavra liberdade, se alcança naturalmente um relacionamento do qual se da gosto de participar, o que faz estender os anos, não é o compromisso, ou papéis assinados, mas sim a renovação, a segurança, o respeito, a sinceridade e a manutenção da vida pessoal fora o outro.
   Hoje em dia temos nos deparado, com pessoas extremamente carentes, não carentes do outro, mas carentes de si próprias, mas na verdade o que procuram no outro, se encontra dentro de cada uma delas, e por isso sofrerm por amor, se apegam, se entregam loucamente sem a inteligência do se auto-descobrir, e depositam no outro a obrigação e a responsabilidade de fazê-las feliz, sendo que a auto estima, a felicidade, a realização como homens e mulheres, tem que se iniciar partindo do seu eu, do você se reconhecer e se amar enquanto pessoa.
    Quando o ser humano aprender que a palavra amor possui um sentido amplo, e que se estende a quase tudo em sua volta, aos animais, aos pais, aos filhos, aos amigos, a musica, a dança. Quando aprendermos que não precisamos do outro para sermos felizes e que o outro é apenas um complemento para que se tenha mais felicidade, as dores relacionadas ao amor diminuíram, todo relacionamento precisa de maturidade.
     Seguindo estes preceitos, descobrirás que ” o tal do amor” te será apenas uma consequência de seus atos contigo, das decisões que toma em relação a auto-valorização, do amor próprio e do saber dizer não para aqueles que não te merecem, ter uma mente saudável e livre de ” grudes” e exigências, te trará como consequência um relacionamento com respeito e duradouro. Portanto mulherada, sem exigências, sem crise, nada de surto e bora viver a vida de uma maneira ampla e sem apego, ame-se que o amor do outro te surgirá naturalmente.

 

                                              

                                                            Morgana Santana

Anúncios